quarta-feira, 16 de março de 2011

Plásticos são encontrados no estômago de 35% dos peixes


Toda cadeia alimentar pode estar sendo prejudicada pelos plásticos. É o que afirma estudo feito com base no dissecamento de peixes-lanternas, pequenos peixes que se alimentam de plâncton ao longo do Oceano Pacífico. Segundo o estudo dos pesquisadores americanos do sul da Califórnia, 35% dos peixes-lanterna que foram encontrados tinham, em média, dois pedaços de plástico em seu estômago, sinal de que esses animais estão se alimentando de plásticos jogados ao mar. Isso pode influir nas cadeias alimentares de muitos seres vivos, inclusive dos humanos, pois esses animais são as presas favoritas de grandes peixes populares na pesca, como o atum e o dourado. A pesquisa, realizada no entorno de 1,6 mil km da Costa Oeste dos EUA, foi feita por pesquisadores de duas instituições parceiras: a Algalita Marine Research Foundation ( Fundação de Pesquisa Marinha Algalita) e a Califórnia Coastal Water Research Project (Projeto de Pesquisa das Águas Costeiras da Califórnia). Publicado na semana passada pela revista científica Marine Pollution Bulletin, o documento analisou a presença de plásticos em centenas de peixes e chegou a encontrar 83 fragmentos do material em um único animal. "O que estamos observando é toda a rede alimentar sendo contaminada pelo plástico", alertou o fundador da Fundação Algalita, Charles Moore. Ele, que é também um dos autores do estudo, explicou que, com o passar do tempo, os plásticos no mar começam a se fragmentar, obtendo um tamanho e uma textura de um alimento natural, confundindo os peixes. O relatório será apresentado no fim de março em uma Conferência Internacional sobre Detritos Marinhos, em Honolulu, Havaí.
Foto 1: Plástico ameaça a vida marinha/Foto: Aletz Cabrera
Foto 2: Plástico no mar/Foto: ADERJ.org

Fonte: EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.