sexta-feira, 8 de abril de 2011

O Rio de Janeiro de luto


Desculpem o desabafo......... Em 25 anos de profissão como jornalista, acostumado a rotina pesada de uma cidade como o Rio de Janeiro, cobrindo conflitos, chacinas, tragédias das mais variadas, ou seja, mergulhado na cobertura da cidade, eu nunca vi um crime tão bárbaro, tão cruel, tão sórdido, tão covarde, tão repugnante como esse perpetrado pelo insano, ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira que invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro, matando 12 crianças e ferindo outras 12, num crime que mobilizou o estado, o país e repercutiu pelo mundo todo. Desde cedo participei da cobertura dessa tragédia e uma das imagens que não sairá mais da minha cabeça são dessas duas meninas que estão na foto acima. As irmãs gêmeas Bianca e Brenda Rocha Tavares, de 13 anos, que foram vítimas desse louco e covarde. Bianca, que aparece de blusa preta, levou um tiro na cabeça e morreu e sua irmã (com um vestidinho amarelo) está hospitalizada em estado grave. Ou seja, uma família inteira destruída: a mãe em estado de choque e a avó materna, um doce de pessoa com quem pude conversar, coitada tentava entender o inexplicável.......como alguém entra numa escola armado desse jeito e sai matando um monte de gente, inclusive, a neta tão querida que sonhava ser médica pediatra e professora. Não vou ficar aqui falando muito sobre o caso, até mesmo porque os sites estão abarratados de informações, fotos, vídeos e toda a cobertura foi bem completa. Quero falar sobre que vi e senti nessa cobertura. O louco deixou uma carta sugerindo que o crime poderia ter alguma conotação de cunho religioso, considerava as outras pessoas "impuras" e chegou a detalhar de como gostaria de ser enterrado.....A gente vê essas coisas acontecendo em escolas nos Estados Unidos, mas um caso desses em nossa cidade é de ficar completamente espantado, pois nunca na história do Rio de Janeiro houve um caso tão bárbaro assim. Vi mães e parentes desesperados quando sabiam da notícia de que um pertubado como esse, havia invadido a escola e saiu atirando na cabeça dos seus filhos e só foi contido por um policial militar que foi, na verdade, um verdadeiro herói, um anjo que estava por perto para impedir um mal maior. Pois se ele não chega a tempo para deter esse "animal", com certeza, o número de mortos seria bem maior. O sargento Marcio Alves estava com outro colega dando apoio a uma operação do Detro - Departamento de Transportes Rodoviários, em uma blitz que acontecia ali perto, quando foi avisado por alunos que estavam fugindo da escola, muitos ensanguentados e pedindo socorro. Ele, imeditamente, foi à escola e conseguiu deter o atirador, que foi baleado e, em seguida, se matou com um tiro na cabeça.


Que Deus abençõe e receba todas essas crianças no seu infinito amor e misericórdia e acalente os corações desses pais que estão sofrendo muito nesse momento. Eu como repórter só tenho a lamentar e pedir para que dias como esse não se repitam nunca mais em nenhuma parte do mundo. Obrigado a todos e desculpem mais uma vez o desabafo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.