sexta-feira, 29 de abril de 2011

Velociraptors eram caçadores noturnos






Um estudo da região dos olhos de fósseis de dinossauros concluiu que alguns deles, como o velociraptor, caçavam à noite e os grandes herbívoros comiam independente da hora. Alguns dinossauros tinham olhos adaptados para a caça noturna, enquanto outros estavam mais aptos para atividades durante o dia, mostra um estudo que contesta a ideia de que os sáurios eram animais exclusivamente diurnos. A partir da análise dos registros fósseis de um osso que existe em pássaros e lagartos, chamado anel esclerótico, pesquisadores conseguiram comprovar que alguns dinossauros tinham a pupila mais aberta, própria para visão noturna. Esse anel circunda a íris, determinando a largura da pupila. O estudo desmente o conceito de que os dinossauros do Mesozóico, de 250 milhões a 65 milhões de anos atrás, tinham atividade exclusivamente diurna, deixando a noite para os pequenos mamíferos. Durante seis anos e meio, pesquisadores da universidade da Califórnia mediram o osso ocular de 33 fósseis de dinossauros, pássaros ancestrais e pterossauros. O diâmetro de cada osso estudado variou de um a 10 centímetros, e revelou novos padrões do ecossistema. De acordo com o estudo, pequenos carnívoros, como os velociraptors, eram caçadores noturnos. Grandes dinossauros herbívoros tinham atividades tanto durante o dia quanto durante a noite, provavelmente pelo fato de terem de comer grandes quantidades, o que levava muito tempo, com direito a “siestas” nas horas mais quentes do dia para evitar o superaquecimento do corpo. O mesmo acontece com grandes herbívoros contemporâneos, como os elefantes. Pterossauros e aves pré-históricas eram mais ativas durante o dia. Os pesquisadores não puderam estudar grandes carnívoros, como o temido Tyrannosaurus rex, por não haver registro fóssil suficiente do anel escleral. A variação nos padrões de atividade diária facilita a divisão do uso do habitat e de seus recursos entre as espécies. “Conseguimos reconstruir o ecossistema, agora que sabemos em que período cada dinossauro era mais ativo, e também começamos a entender melhor a interação deles”, disse Lars Schimitz, professor do departamento de Evolução e Ecologia da Universidade da Califórnia e autor do estudo publicado na edição do periódico científico Science. Os pesquisadores também analisaram a estrutura em outras 164 espécies contemporâneas. Humanos não têm anel esclerótico. “Como sabemos os hábitos dos animais que vivem nos dias de hoje, pudemos comparar com a estrutura ocular a dos fósseis de dinossauros”, disse Schimitz. “A descoberta foi uma surpresa, embora faça todo o sentido”, completou Ryosuke Montani, também autor do estudo.
Foto 1: Cortesia Lars Shmitz; Esqueleto do pterossauro Ctenochasma elegans, que tinha hábitos noturnos
Foto 2: Cortesia Lars Schmitz; Na imagem, o crânio do Diplodocus longus, um grande herbívoro que tinha hábitos noturnos e diurnos, assim como os elefantes
Foto 3: Cortesia Lars Schmitz; Na imagem é possível ver o anel escleral do Protoceratops andrewsi, um grande herbívoro
Foto 4: Cortesia Lars Schmitz; O Velociraptor mongoliensis tinha hábitos noturnos


Fontes: Último Segundo; estadao.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.