quinta-feira, 12 de maio de 2011

Planta faz com que inseto herbívoro atraia predadores pelo cheiro



Cientistas identificaram o que pode ser um mecanismo indireto de defesa bastante incomum utilizado por uma planta contra seus predadores. Os tricomas são pequenas projeções nas folhas que se parecem com pelos e que normalmente oferecem obstáculos, armadilhas ou substâncias tóxicas aos animais herbívoros. Porém, um estudo do setor de Ecologia Química do Instituto Max Planck em Jena, na Alemanha, publicado nesta semana pela "Proceedings of the National Academy of Sciences" (publicação científica editada pela Academia de Ciências dos Estados Unidos) mostrou que na Nicotiana attenuata, uma espécie selvagem de tabaco, o funcionamento dos tricomas é diferente. Nessa planta, os tricomas são compostos principalmente de sacarose, o açúcar comum, ligado a uma cadeia de ácidos alifáticos. A substância doce atrai lagartas recém-nascidas, mas gera um efeito colateral. Os corpos e as fezes dessas lagartas adquirem um cheiro característico que atrai insetos maiores, como formigas, que se alimentam das lagartas. O açúcar funciona, portanto, como uma forma de atrair predadores maiores para eliminar os herbívoros que atacam a planta. Agora, a equipe liderada por Ian Baldwin deve continuar as pesquisas para determinar se a estratégia molecular é mesmo uma “defesa indireta”, no sentido ecológico.
Foto 1: Lagarta é atacada por formiga após ingerir tricomas de tabaco selvagem. (Foto: Ian Baldwin e Alexander Weinhold/ Instituto Max Planck de Ecologia Química)
Foto 2: Tricoma da 'Nicotiana attenuata', uma espécie selvagem de tabaco, que lagartas utilizam para se alimentar. Após comer a planta, as fezes dos animais começam a soltar um cheiro que atrai insetos predadores maiores como formigas. (Foto: Ian Baldwin e Alexander Weinhold / Instituto Max Planck)
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.