terça-feira, 10 de maio de 2011

Uma beleza predadora




Este belíssimo animal é o Peixe-leão, pertencente à família dos Scorpaenidae. Ele pode ser encontrado na região Indo-Pacífica, no oceano Atlântico e no mar do Caribe, estando sempre próximos à recifes de corais. Chamam a atenção pela sua coloração listrada, que pode ter tons de vermelho, marrom, laranja, amarelo, preto ou branco. Esses peixes são conhecidos pelos seus enormes espinhos – venenosos - que são distribuídos entre as regiões dorsal (de 12 a 13), pélvica (2) e anal (3). Cada um deles possui duas glândulas que produzem e armazenam o veneno. Há também alguns na área peitoral, mas esses são inofensivos. A potência desse veneno varia de acordo com a espécie e tamanho do animal. Na hora da caça, os peixes-leões são predadores bem vorazes. Eles encurralam as suas presas com seus espinhos e as engolem, rapidamente, por inteiro. Optam sempre por pequenos peixes, necessariamente vivos, na hora de comer. Quando em cativeiro, são habituados a alimentar-se de camarões congelados. É um animal de hábitos noturnos. Durante o dia, se abrigam em cavernas ou fendas, e desovam seus ovos na parte da noite. Esses peixes vivem em média 15 anos e podem pesar até 200 gramas. Quanto ao seu veneno, os principais efeitos são: dor intensa localizada (seguida de edema local), náuseas, tontura, fraqueza muscular, falta de ar e dor de cabeça. Eles são compostos de proteínas que são vulneráveis ao calor e se desnaturam naturalmente, por isso, para socorrer alguém atingido pelo peixe-leão, basta fazer uma compressa de água quente no local por 30 a 40 minutos até a dor diminuir.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.