terça-feira, 21 de junho de 2011

Salamandra da Guatemala e rã peruana correm risco de extinção


A rã arlequim do Peru (Atelopus patazensis) e uma salamandra anã da Guatemala (Dendrotriton chujurum) entraram na lista de espécies em perigo crítico de extinção elaborada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês). Segundo a última edição da Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas, dos 19 anfíbios que passaram a integrar a lista, oito estão em perigo crítico de extinção, casos da rã arlequim e da salamandra guatemalense. Os dados da IUCN apontam que 41% do total de anfíbios de todo o mundo estão ameaçados, principalmente pela destruição de seus habitats, poluição, doenças e a presença de espécies invasoras. Além disso, foi realizada pela primeira vez a avaliação das 248 espécies de lagostas existentes, sendo que 35% foram classificadas na categoria "dados insuficientes", inclusive a lagosta comum do Caribe (Panulirus argus). As povoações de lagosta diminuem em virtude da exploração excessiva, uma vez que cerca de 1,2 bilhões de pessoas no mundo dependem das espécies marinhas como alimento e meio de subsistência. No entanto, não existem dados confiáveis sobre os níveis de pesca e captura das espécies para avaliar sua situação e ameaça de extinção. A boa notícia foi trazida pelo Órix da Arábia, também conhecido como antílope branco, que foi eliminado da lista de espécies em perigo de extinção para passar à de espécie vulnerável. Neste ano, graças à criação em cativeiro e a bem-sucedidas ações de reintrodução, o Órix não corre mais o risco de desaparecer, sendo a primeira vez que uma espécie que chegou a estar extinta abandona esta categoria. Sua população silvestre já conta com mil espécimes.

Foto: Alessandro Catenazzi/IUCN; Imagem de rã da espécie Atelopus patazensis que corre risco de extinção, segundo ONG ambiental
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.