terça-feira, 7 de junho de 2011

Sapo Palhaço



A biodiversidade amazônica é objeto de pesquisa em todo o mundo. São milhares de plantas e animais, de musgos a mamíferos, fungos a sapos, que todos os dias são investigados pela Ciência. E, com muita frequência, espécies novas de organismos são descritas, muitas delas bastante interessantes. É o caso de um pequeno sapo da Amazônia do Equador, Osornophryne cofanorum, descoberto há poucos meses nos contrafortes dos Andes entre 2600 e 2800 metros de altura, pelos cientistas Jonh J. Muese-Cisneros, Mario H. Yánez-Muñoz e Juan M. Guayamasin. Esse animal muito colorido tem duas características raras: a ponta do nariz é grande e colorida e os dedos dos pés são espalmados, que lhe confere a habilidade de subir em árvores. Os Anfíbios são divididos em 4 grandes grupos: sapos e rãs, pererecas, cobras-cegas e salamandras. As cobras-cegas não têm patas e parecem mesmo com uma cobra. Os sapos e as rãs são terrestres de uma maneira geral e são os mais conhecidos e finalmente as pererecas , em sua maioria, que são arborícolas e têm as pontas dos dedos transformadas em discos adesivos que lhes permite subir pelas plantas, rochas, paredes do banheiro. O novo sapo amazônico é uma mistura de sapo e perereca uma vez que, como esta, vive subindo pelas plantas, onde tem sido observado. Mas ao invés de discos adesivos, ele tem alguns dedos dos pés mais compridos. Seu nome científico, cofanorum, é uma homenagem à comunidade indígena Cofán, que vive na fronteira entre o Equador e a Colômbia e trabalham muito em favor da conservação do meio ambiente da região.os machos são diferentes das fêmeas, pois, como acontece tanto entre os humanos, só eles têm o “nariz de palhaço”...
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.