domingo, 12 de junho de 2011

Vegetações de Nosso Planeta








O Globo terrestre possui vários tipos de vegetação, dependendo da área. Cada bioma recebe um tipo diferente de fauna e flora, o que forma a rica biodiversidade que conhecemos.
A Tundra - Este tipo de vegetação acontece no extremo norte do planeta: norte do Canadá, Dinamarca, Rússia, Islândia, Ártico e no litoral da Groenlândia. Juntas, todas as áreas cobrem mais de 11 milhões de km². O nome vem do russo e significa “trato montanhoso sem árvores”. Este tipo de bioma é caracterizado pelo clima polar, o solo fica congelado na maior parte do ano, impedindo o crescimento de grandes plantas. Existem apenas duas estações: inverno e verão. No inverno, acontecem seis meses de noite, em que estas regiões não veem o sol. É uma época muito fria, em que as temperaturas podem cair a -50ºC. No verão, o sol não se põe durante seis meses. Ainda assim, a temperatura não costuma subir acima dos 12ºC. A biodiversidade deste bioma é baixa, mas fascinante. Ela inclui os ursos polares, as renas e as focas. É um dos únicos lugares em que podemos encontrar animais que mudam de cor sazonalmente, ocorrendo troca completa de pelos e penas para melhor camuflagem.
A Taiga - Também chamada de floresta de coníferas ou floresta boreal, é o maior bioma da terra, cobrindo 29% da área do planeta. Ela ocorre no norte da Europa e quase todo o território da Rússia e Canadá. O clima da taiga é difícil, com poucas chuvas e muita neve. O solo tem poucos nutrientes e algumas áreas ainda são permanentemente congeladas, dificultando o crescimento de plantas. No verão, há luz do sol por mais de 20 horas diárias; no inverno, ela mal dura 6. Ainda assim, a fauna e flora deste bioma são mais diversificadas. Possui diversas frutas como framboesa, cassis preto, morango e mirtilo. Mas a principal vegetação do lugar são os pinheiros e os lariços: daí o nome de floresta de coníferas. Da fauna da taiga fazem parte os alces, os castores, diversas espécies de urso e mais de 32 mil espécies de inseto. Mais de 300 espécies de ave são vistas durante o verão, mas apenas 30 aparecem no inverno: a maior parte é migratória.
A Floresta Temperada - Este tipo de bioma ocorre em locais muito específicos do globo terrestre: oeste dos Estados Unidos, Canadá, Europa, sul do Chile, China e Austrália, por toda a Nova Zelândia, Japão e Coreias. Neste tipo de bioma, as temperaturas médias são mais amenas, variando entre 4ºC e 12ºC. O clima é temperado com as quatro estações bem definidas. No outono, as folhas das árvores secam e caem. A fauna é bastante variada, incluindo grandes mamíferos como lobos, raposas e ursos. Alguns animais como também as plantas, hibernam durante o inverno, de forma a não gastar muita energia. O urso é o exemplo mais famoso, mas algumas espécies de morcegos, esquilos e outros roedores também tem esta capacidade.
A Floresta Tropical - Um bioma que ocorre até 28º acima ou abaixo do equador. Exemplos incluem a Indonésia, a África central, o oeste da Índia, a ilha de Madagascar, o Caribe e as Américas do sul e central. As temperaturas são altas, com médias entre 28ºC e 45ºC, e as temperaturas mensais raramente caem abaixo de 18ºC. As chuvas são frequentes e longas. A floresta tropical tem apenas duas estações: a chuvosa e a seca. A maior floresta do mundo, a Amazônica, é uma floresta tropical. Ela é o lar de 80% de toda a biodiversidade do mundo: mais do que todos os outros biomas combinados. Já foram chamadas, erroneamente, de “pulmões do mundo”, pois produziriam o oxigênio que respiramos. Depois, provou-se que as florestas tropicais são autossuficientes, consumindo todo oxigênio que produzem. O solo destas florestas é extremamente fértil: as árvores são verdes o ano inteiro, algumas subindo a 85 metros do chão. Em alguns pontos deste bioma, há pouco ou nenhum extrato arbustivo, principalmente porque as copas das árvores bloqueiam os raios solares. Os animais variam imensamente de floresta para floresta: nas Américas, encontramos onças-pintadas, micos-leões e tucanos; em Madagascar, há lêmures e camaleões; na Indonésia, orangotangos e tipos específicos de rinocerontes e tigres.
A Savana - Ela é típica de um clima tropical seco, acontecendo, tradicionalmente, entre áreas de deserto e floresta tropical. Ocorre majoritariamente na África subsaariana, mas também em áreas específicas da América do sul, Índia e norte da Austrália. Apesar de quente (a temperatura média gira em torno dos 25ºC), ela é mais seca que a floresta tropical: durante dois ou três meses, no inverno, não há chuva alguma. Por isso, savanas são extremamente suscetíveis a incêndios, as vezes bastando uma faísca para que o fogo comece. Uma das principais características da savana é sua vegetação, que é principalmente uma relva e arbustos baixos, com árvores espaçadas e, portanto, pouca sombra. Acácias são algumas árvores típicas deste clima. Alguns dos animais mais fascinantes do mundo vivem em savanas. Leões, hipopótamos, girafas e aardvarks são alguns exemplos africanos; na América e Austrália, lobos-guará e marsupiais como canguru e coala são alguns dos habitantes da savana.
O Deserto - Talvez o ambiente mais hostil da Terra, com altas temperaturas e níveis de chuva abaixo do necessário para comportar a maior parte das plantas. Ocupa o sul e norte da África, todo o Oriente Médio, o centro da Austrália e o oeste das Américas. Seu nome vem do latim desertum – literalmente, “lugar abandonado”. As temperaturas no deserto são extremamente variáveis, podendo ultrapassar os 45ºC de dia e cair a menos de 0ºC durante a noite. O calor e a baixa precipitação, por vezes, geram um fenômeno curioso: gotas de chuva que evaporam antes mesmo de tocar o chão – uma autêntica chuva sem água, chamada de virga. Embora o deserto do nosso imaginário, geralmente, seja um mar de areia, na verdade apenas 20% dos desertor são cobertos por ela. Alguns são amplos planaltos de terra; outros, pavimentos de rocha. A biodiversidade do deserto, entretanto, é maior do que parece. Ele é lar de diversa espécies de cactos, além que alguns tipos específicos de acácias. Seus habitantes animais incluem o gerbil, o coiote, o camelo, vários lagartos e serpentes como a naja. Contrário à crença de muitos, o deserto mais seco do mundo não é o Saara, e sim o Atacama, no Chile.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.