terça-feira, 16 de agosto de 2011

O poder das teias de aranha

Sabemos que as teias de aranha servem, na maioria das vezes, para a apreensão de seus alimentos. Mas, será que temos alguma noção de como elas são feitas e qual a sua real importância? As teias são minúsculos fios de seda, de aproximadamente 0,15 micro, produzidos por glândulas que estão no abdômen das aranhas fiandeiras que formam o conjunto desses filetes. Os diversos tipos de aracnídeos que existem no mundo possuem diferentes formas de fabricar esses fios de seda. Encontrados perto de habitações humanas - muitas vezes em áreas isoladas -, entre as paredes soltas, atrás de portas e janelas abertas e sótãos, os fios têm diversas utilidades para esses animais. Eles podem ser usados tanto para o encapsulamento da presa como para formar seus refúgios. Porém, o mais interessante sobre as teias de aranha - e que muitas vezes nós não temos ideia - é o seu poder de resistência e elasticidade. Pesquisas constataram que esses fios, em seu próprio diâmetro, são cinco vezes mais fortes que os de aço. Ainda, eles podem ser esticados até quatro vezes o seu comprimento sem se partir. É por isso que uma teia com densidade mínima é capaz de parar um besouro voando em alta velocidade. Alguns estudos descobriram que essas teias poderiam servir para a confecção de coletes à prova de balas, na fabricação de pára-choques, em possíveis remédios farmacêuticos, em equipamentos esportivos, além de criar tendões, ligamentos e membros artificiais, devido à suas qualidades. A dificuldade está em como obter uma grande quantidade desse fio para utilizá-lo em larga escala. Recentemente, pesquisadores de uma empresa canadense descobriram uma cabra capaz de produzir em seu leite a proteína responsável pela formação da teia de aranha. Também é possível obter resultados semelhantes por meio do algodão transgênico. De acordo com a revista Superinteressante, especialistas acreditam que, se a teia da aranha Parasteatoda tepidariorumdessa, considerada a mais forte de todas, tivesse os fios com a mesma espessura de um lápis, ela seria capaz de parar um Boeing 747 em pleno voo. A explicação para isto é que, quanto mais força o aracnídeo utiliza para puxar o fio durante a fabricação, mais resistente ele ficará após o enrijecido.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.