quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Encontrado na Antártida fóssil de baleia primitiva de 49 milhões de anos


A Direção Nacional da Antártida, órgão argentino, anunciou nesta terça-feira, 11, a descoberta do fóssil de uma baleia que viveu há 49 milhões de anos, o mais antigo do mundo até o momento. Trata-se de uma mandíbula reconstruída, de cerca de 60 centímetros, que permite saber que a origem da linhagem desta baleia é mais antiga do que se pensava, assegurou a paleontóloga argentina Claudia Tambussi. A descoberta do "Arqueoceto Antártico", um parente distante das baleias, foi feita no nordeste da Península Antártica, perto do Mar de Weddell, por Claudia Tambussi, seu compatriota Marcelo Reguero e os suecos Thomas Mörs e Jonas Hagström, estes dois últimos do Museu de História Natural de Estocolmo. Este "Arqueoceto Antártico" pertence ao grupo Basilosauridae, do qual se originaram todos os cetáceos atuais. "O exemplar corresponde a um cetáceo primitivo de 49 milhões de anos. É o primeiro cetáceo adaptado à vida marinha encontrado na Antártida", informa o pesquisador Marcelo Reguero. "É uma descoberta de muita importância dentro da evolução do grupo de baleias", afirma o especialista. "Representa o registro mais antigo do grupo que deu origem às baleias modernas e aos golfinhos", completa. "É um exemplo de como a evolução atua. A partir de um antecessor totalmente quadrúpede até evoluir a forma parecida com a de uma baleia foi uma evolução extremamente rápida, muito mais rápida do que se pensava até o momento", comemora. Reguero estava na expedição que encontrou fósseis de uma mandíbula e de uma fileira de dentes no último mês de fevereiro na Ilha Seymour, na Antártida, onde se situa a Base Marambio, estação argentina no continente. O cientista é chefe do Projeto de Paleontologia de Vertebrados do Instituto Antártico, além de pertencer ao Museo de La Plata e ao Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (Conicet). A Direção Nacional da Antártida também informou que outro grupo de paleontólogos encontrou na ilha James Ross restos de um dinossauro sauropodomorfo, um ankylosauros, répteis marítimos (plesiossauros) e peixes ósseos. Também foram coletados amostras de dentes de tubarões e um esqueleto quase completo de um pinguim gigante (entre 1,50 metro e 1,60 metro de altura), com aproximadamente 34 milhões de anos.
Fontes: G1; Último Segundo; estadao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.