quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Grupo usa mosquitos geneticamente modificados para combater dengue

Mosquitos alterados em laboratório para carregarem um gene fatal para seus filhotes são a nova arma dos cientistas contra a dengue. Os resultados positivos da técnica foram apresentados pela primeira vez nesta semana, na edição online da revista britânica Nature Biotechnology. O grupo da Universidade de Oxford, apoiado pela empresa privada Oxitec, soltou nas ilhas Cayman mosquitos Aedes aegytpi geneticamente modificados. Esses insetos cruzaram com as fêmeas da espécie e produziram filhotes com um defeito genético que os fazia morrer antes de chegar à idade de reprodução. Após a inserção dos mosquitos de laboratório, a população do A. aegypti no arquipélado caiu. Foi a primeira vez que a técnica, prevista na teoria, funcionou na prática, em ambiente selvagem. Um problema da armadilha dos cientistas é que o sucesso dos insetos de laboratório na busca por uma parceira foi a metade do obtido pelos mosquitos selvagens, que seguem se reproduzindo normalmente. A malária, que também é transmitida por mosquitos, também pode ser atacada com a técnica, acreditam os pesquisadores. Não existe vacina contra a dengue. Até o momento, a única forma de evitar a doença é o controle do mosquito.

Foto 1: Machos de Aedes aegypti usados na pesquisa; foto Derric Nimmo/Oxitec Ltda.

Foto 2: Quadro de Dengue Clássica e Hemorrágica












Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.