domingo, 11 de dezembro de 2011

A cebola do deserto

Esta planta encontrada somente na Namíbia e Angola é uma gimnosperma rasteira formada por um caule que não cresce. Possui uma grande raiz e somente duas folhas, proveniente dos cotilédones da semente. Estas folhas com o tempo podem atingir mais de 2 metros de largura se dividindo nas extremidades. A Welwitschia mirabilis foi descoberta em 1859 pelo Dr. Friedrich Welwitsch. Portanto, é considerada um fóssil vivo por viver mais de mil anos, podendo chegar até 1500 anos. Por este motivo e, também por aguentar um período sem chuvas de até cinco anos, é considerada a planta mais resistente do mundo.A planta conhecida como “cebola do deserto” pode ser consumida pelos nativos crua ou cozida em cinzas quentes. Ela possui um metabolismo ácido, conhecido como Ciclo de Calvin, que se assemelha aos dos cactos para não perder água na transpiração durante o dia. No deserto da Namíbia, a planta absorve a umidade dos nevoeiros que ocorrem à noite. Devido às suas características únicas, incluindo o seu lento crescimento e ser utilizada na alimentação, a Welwitschia é considerada uma espécie ameaçada. Na Angola, esta planta acaba sendo mais protegida, pois nesta região o seu habitat possui mais de 15 milhões de minas terrestres, impedindo o homem de circular nos arredores.
Se você quiser saber mais sobre esta planta acesse nosso blog na matéria Deserto da Namíbia.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.