sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Espécies de araras poderão desaparecer na Amazônia boliviana, afirma Cites

A Bolívia é uma das nove nações da América do Sul, na qual a floresta Amazônica está inserida. Abrigo de uma rica diversidade de fauna e flora, os parques bolivianos possuem dez espécies de araras, das 12 existentes no mundo. Recentemente, o Cites (Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção) considerou quatro destas espécies ameaçadas de extinção. As razões, segundo o órgão, estão ligadas à caça, perda de habitat e ao tráfico de animais silvestres, recorrentes na região. Representantes dos parques nos quais vivem as araras, tais como o Parque Nacional Manuripi no departamento de Pando; o Noel Kempff em Santa Cruz; a Reserva da Biosfera; a Estação Biológica em Beni; e o Madidi, em La Paz, estão pessimistas com o futuro das aves. Os motivos, de acordo o portal Eco Amazônia, estão relacionados às obras e projetos em andamento na região, que poderão causar impactos negativos. Entre eles estão à construção de represas como a Cachuela Esperanza, no Rio Beni, de estradas em Apolo, La Paz, Beni e Cochabamba e explorações petrolíferas em Madidi e La Paz. Todas elas, de acordo com o Cites, fazem parte das obras que são capazes de deixar a Amazônia boliviana sem araras, em razão da possibilidade de causarem impactos em seus habitats naturais, ao criarem barreiras que alterarão seriamente seu ciclo migratório e de reprodução.
Espécies ameaçadas:
Arara-garganta-azul (Ara glaucogularis) - Com população que não supera 300 indivíduos, conforme afirma a Associação Armonia, a arara-garganta-azul é uma espécie endêmica da Bolívia que atualmente está ameaçada devido à caça ilegal por algumas etnias indígenas, como os chimanes e moxenhos, que utilizam as penas das aves como enfeites ou em danças tradicionais.
Araracanga (Ara macao) - Catalogada pelo Cites dentro da Apêndice I da lista de espécies ameaçadas, a araracanga possui população desconhecida, mas com estimativas baixa. A sua maior ameaça na Bolívia está na venda ilegal. As cores vivas presente nas aves, as tornam atrativas na compra como animal de estimação. Tanto adultos como filhotes são facilmente encontrados nos mercados da Bolívia.
Arara-militar (Ara militaris) - A arara-militar é uma espécie exótica e ainda pouco conhecida. Ganhou esse nome porque possui as mesmas cores de um uniforme militar. A ameaça a ela está relacionada principalmente a crescente exploração de madeira ilegal, que afeta diretamente o seu ecossistema e altera seu ciclo natural, pois a espécie é forçada a migrar para outras localidades.
Arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus) - Considerada a maior arara de todas as espécies, a arara-azul-grande possui população na Bolívia entre 200 a 400 aves. Os incêndios florestais são considerados a principal ameaça a esses animais. O número de incêndios nas florestas bolivianas provocou a redução das árvores específicas que as araras-azuis utilizam para fazer os ninhos, o que afetou diretamente no índice de reprodução e consequentemente na sua população.
Fonte: EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.