domingo, 11 de dezembro de 2011

Ranking lista 20 melhores cidades do mundo para andar de bicicleta - Rio é 18ª

A Copenhagenize, empresa dinamarquesa especializada em consultoria, planejamento, marketing e comunicação de ações ligadas ao uso da bicicleta como meio de transporte, lançou o Copenhagenize Report: ranking das 20 cidades mais amigáveis aos ciclistas de todo o mundo. Ao longo de seis meses, informações e estatísticas de 80 grandes cidades foram avaliadas por especialistas da empresa, que pontuaram cada uma delas de zero a 64. Sem surpresas, a cidade holandesa de Amsterdã ficou em primeiro lugar, com 54 pontos. Segundo a pesquisa, a cidade foi bem em praticamente todas as categorias avaliadas, como infraestrutura, instalações e políticas públicas. “A atmosfera ciclística é relaxante e prazerosa. Esse é o único lugar no planeta onde o sentimento de risco ao pedalar não existe”, diz o documento. Mas, apesar de todas as qualidades, ainda há o que melhorar, dizem os especialistas da Copenhagenize. Segundo o texto, Amsterdã pode utilizar mais ideias criativas e inovadoras para reforçar as condições de ciclismo e aumentar ainda mais o uso do modal. O segundo lugar ficou com Copenhagen, que atingiu 52 pontos, seguida por Barcelona, com 45, Tokio e Berlin, ambas com 41 pontos.
Rio de Janeiro: De acordo com os responsáveis pelo ranking, a lista trouxe algumas surpresas – uma delas foi a presença do Rio de Janeiro. Em 18º lugar, com 30 pontos, a cidade carioca é a única brasileira da lista e ficou na frente de metrópoles como Viena e Nova York. Segundo a publicação, a classificação positiva se deve à possibilidade dos ciclistas se deslocarem de uma ponta à outra da cidade através de uma infraestrutura de bicicleta separada da via dos veículos. Ainda segundo o documento, o Rio possui ciclovias desde 1992 e permite que uma pessoa se desloque do aeroporto Santos Dumont até o centro da cidade de bike. “Os cariocas estão bem familiarizados com a bicicleta e se você envesgar os olhos pode pensar que está em uma cidade europeia. Com a economia brasileira indo de vento em popa, há uma ampla oportunidade de a cidade expandir sua cultura de bicicleta”, diz o texto. Por outro lado, os especialistas listaram alguns problemas a serem avaliados na cidade brasileira. Segundo eles, o limite de velocidade para carros nas vias próximas às ciclovias de 70 km/h é “insano”. “As ciclofaixas do início dos anos 1990, e as extensões posteriores, foram visionárias, mas agora é hora de pensar grande e rápido. O número de carros nas ruas está aumentando e é necessário agir. O que o Rio fará para implementar a infra-estrutura ciclistica até a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016 irá determinar o futuro da bikes na cidade. O mundo está assistindo, Rio de Janeiro. Faça a coisa certa”, concluem.
Bike Rio: Parece que as orientações da Copenhagenize já estavam sendo pensadas pelos gestores da cidade. Há pouco mais de uma semana, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, inaugurou o Bike Rio – sistema de aluguel de bicicletas semelhante ao modelo implantado com sucesso em muitas capitais ao redor do mundo. Lançado com apoio do Itaú Unibanco, o sistema deve instalar 60 estações de aluguel de bicicleta em 14 bairros da capital fluminense até 13 de dezembro. Até o momento, já estão em funcionamento 11 estações em Copacabana. Para utilizar o sistema, basta o usuário se cadastrar no site do projeto e adquirir o passe Samba, optando pelo pacote mensal (R$ 10,00) ou diário (R$ 5,00). O sistema é composto de estações inteligentes, conectadas a uma central de operações via wireless (conexão sem fio) alimentadas por energia solar e distribuídas em pontos estratégicos da cidade, onde os usuários cadastrados podem retirar uma bicicleta todos os dias da semana, das 6h às 22h. A bicicleta pode ser usada por 60 minutos ininterruptos e quantas vezes por dia o usuário desejar, bastando apenas que, após esse período, o usuário estacione a bicicleta em qualquer uma das 60 estações por um intervalo de pelo menos 15 minutos. A partir de dezembro, 600 bicicletas estarão disponíveis em pontos estratégicos nos bairros de Botafogo, Catete, Centro, Copacabana, Cosme Velho, Flamengo, Gávea, Humaitá, Ipanema, Jardim Botânico, Lagoa, Laranjeiras, Leblon e Urca. Segundo Paes, a malha cicloviária da cidade também está sendo aumentada e deve chegar a 300 km no fim de 2012.
Veja abaixo o ranking final da Copenhagenize Report 2011:
1º – Amsterdã
2º – Copenhague
3º – Barcelona
4º – Tóquio
5º – Berlim
6º – Munique
7º – Paris
8º – Montreal
9º – Dublin
10º – Budapest
11º – Portland
12º – Guadalajara
13º – Hamburgo
14º – Estocolmo
15º – Helsinki
16º – Londres
17º – São Francisco
18º – Rio de Janeiro
19º – Viena
20º – Nova York
Fonte: EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.