domingo, 22 de janeiro de 2012

Pangolim: um tatu bola interessante

Uma mistura de tamanduá com tatu bola, este é o Pangolim. Único representante vivo da família Manidae, ele pode ser encontrado nas zonas tropicais da Ásia e da África. Suas sete espécies possuem características semelhantes. Todas têm o corpo coberto de escamas, não possuem dentes, têm hábitos noturnos (com exceção do Pangolim de cauda longa que também é ativo ao dia) e se alimentam principalmente de formigas. Para caçá-las, o animal – que tem seu senso de olfato bem desenvolvido – perfura os formigueiros com suas poderosas garras e as catam com sua enorme língua viscosa. Passam a maior parte do dia dormindo, enrolado em seu próprio corpo como se fosse uma bola. Fazem isso também ao se sentirem ameaçados, pois precisam proteger seu abdômen que não é coberto pelas escamas. Andam tanto com as quatro patas quanto apenas com as duas traseiras, utilizando a calda para equilibrar-se. Também são bons nadadores e, ao perceberem a presença de algum predador, emitem um cheiro horrível através de seu anus. Os Pangolins estão ameaçados de extinção. Na África, principalmente, eles estão presentes na culinária. Na China, são utilizados na medicina alternativa por acreditar que diminui inchaços e auxilia na amamentação (produzindo o leite). Em maio de 2007, a bordo de um navio abandonado na costa da China, 31 deles foram encontrados juntamente com cerca de 5.000 animais em extinção.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.