sexta-feira, 9 de março de 2012

Budião-papagaio e budião-arara são peixes coloridos de rara beleza

É um bicho abundante, vivendo entre 1 e 60 metros de profundidade tanto nos recifes do nordeste como nos fundos rochosos das ilhas do sudeste, onde um “primo-irmão”, o Budião-Arara (Bodiaus pulchellus), é ainda mais comum em alguns lugares. Mesmo assim, poucos são vistos pelo pescador esportivo, raramente sendo fisgados. Tanto uma como outra espécie são muito ativas, sempre buscando alimento. Têm hábitos geralmente solitários ainda que possam ser muito numerosos em uma mesma área - por vezes formam pequenos grupos. Comem crustáceos, moluscos, equinodermes e vermes, além de peixes menores. Curiosos, não temem o mergulhador. Pelo contrário, chegam a segui-lo. Os machos são territoriais e sabe-se que o Budião-Papagaio forma haréns. Os jovens, entre 1,5 e 4,0 cm são "limpadores", comendo parasitas, muco e tecido morto que retiram do corpo de peixes maiores de outras espécies. Uma característica destes peixes é que são hermafroditas protogênicos, O mesmo indivíduo passa uma fase inicial como fêmea e, em certo momento, transforma-se em macho, metamorfose que demora de 7 a 10 dias. Em outros budiões isso implica em uma mudança total de tamanho e cores, mas no caso destes dois, isso não acontece. Por falar em cores, o Budião-Papagaio tem mais de uma fase, a principal sendo a com a parte anterior do corpo variando de azul-púrpura a vermelho e o resto do corpo amarelo; peixes de águas mais fundas são mais vermelhos e há espécimes quase inteiramente azul-escuros, com manchas amarelas ou avermelhadas. Os jovens são azuis a rosados ou vermelhos na frente, o resto do corpo amarelo. Chega a 45 cm de comprimento. Também chamado de Bigodeiro, Budião-Batata, Pretucano e Rufus. O
Budião-Arara é menos volúvel, sempre vermelho vivo com uma área amarela bem grande na parte posterior do corpo e nadadeira dorsal. Com uma faixa branca da cabeça à cauda, pelo meio do flanco; os jovens são quase totalmente amarelos, com uma mancha azul na parte frontal da nadadeira dorsal. Chega a 25 cm de comprimento e recebe os nomes de Budião-Fogueira,Budião-Batata, Budião-Cachorro, Budião-Branco e Budião-Vermelho, As duas espécies ocorrem no Atlântico Ocidental, da Carolina do Sul (EUA) e Bermudas, até Santa Catarina.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.