sábado, 31 de março de 2012

Desmatamento interfere pouco no degelo global


Uma análise realizada por pesquisadores da Universidade Innsbruck, na Áustria, aponta que as mudanças no uso da terra e o desmatamento ilegal de florestas podem não contribuir para a aceleração do degelo no planeta. Os cientistas divulgaram no dia 6 que tomaram como exemplo o topo do Monte Kilimanjaro, localizado na África Oriental, numa região que sofreu uma diminuição significativa das florestas nas altitudes entre 1.800 e 3.000 metros -- por conta da derrubada ilegal e aumento dos incêndios florestais desde os anos de 1970. Os pesquisadores realizaram medições da massa de gelo e meteorológicas por dez anos, o que contribuiu para que o estudo fosse mais abrangente e apontasse alguma ligação entre a perda da floresta a redução da geleira.
Pouco impacto: Os resultados, obtidos a partir de uma metodologia que utilizou elementos climáticos como temperatura, umidade, radiação, precipitação, além da massa de gelo, mostraram que a mudança no uso do solo alterou o sistema de chuvas sobre as geleiras, mas com diferentes efeitos nos campos de gelo Norte e Sul da montanha (aumento e diminuição, respectivamente). “Dependendo da estação, as chuvas não contribuem com mais de sete dos 17% de perda da massa glacial no setor sul do Kilimanjaro. Nós, portanto, não podemos confirmar a hipótese de que o desmatamento na região contribui significativamente para a perda das geleiras”, disse Thomas Mölg, climatologista e responsável pelo estudo. Apesar de não comprovar uma ligação direta do desmate com o degelo, os cientistas ficaram preocupados com a modificação do regime de chuvas. “O desflorestamento diminui significativamente as chuvas na região da média-montanha – cerca de dois quilômetros abaixo da geleira”, afirma o pesquisador. A investigação sugere que isto afetaria os reservatórios de água local, reduzindo a oferta para a população.
Foto: Monte Kilimanjaro, localizado entre a Tanzânia e o Quênia, foi local pesquisado por cientistas. (Foto: Denis-Huot/hemis.fr/AFP)
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.