domingo, 11 de março de 2012

Emissões de CO2 têm que cair de forma drástica


Limitar o aquecimento global a dois graus Celsius neste século é possível se as emissões de CO2 forem reduzidas drasticamente, de acordo com um estudo divulgado no dia 23 de fevereiro pelo Instituto Max Planck de Meteorologia (MPI-M) e pelo laboratório de clima do Deutsches Klimarechenzentrum (DKRZ). A afirmação foi feita pelo diretor do Max Planck, Jochem Marotzke, em entrevista coletiva realizada em Berlim, na Alemanha. Ele e um grupo de cientistas avaliaram simulações climáticas que refletiam o aumento contínuo da concentração de CO2. O resultado desta elevação resultaria em uma subida significativa da temperatura e também na acidificação dos oceanos. Segundo os especialistas, no pior cenário, a previsão aponta que a temperatura global crescerá em quatro graus Celsius até 2100, com sérias consequências. “A tendência seria de ondas de calor mais prolongadas e críticas em todo o planeta”, diz Marotzke.
Mudança nas correntes: Com o estudo foi possível também prever pela primeira vez a circulação das correntes no Oceano Atlântico Norte em cinco e dez anos. “As estimativas atuais mostram que, devido ao CO2, o oceano está 30% mais acidificado na comparação com o período pré-industrial”, afirma Johann Jungclaus, oceanógrafo do Instituto Max Planck. Ele acrescenta que muitos organismos não sobrevivem a essas mudanças. Os resultados vão integrar o documento sobre o ciclo de carbono e a dinâmica da vegetação nas projeções climáticas para este século, que fará parte do quinto relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que deverá ser concluído entre 2013 e 2014.
Foto: Infiltrações vulcânicas na região de Pápua Nova Guiné simula emissões de CO2 na atmosfera: recifes de corais podem desaparecer (Foto: Katharina Fabricius/Australian Institute of Marine Science)
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.