terça-feira, 3 de abril de 2012

Casos de tuberculose caem 3,5%, mas ainda são 4ª causa de morte

O Brasil registrou em 2011 redução da incidência de tuberculose, quarta causa de mortes por doenças infecciosas no país. Dados do Ministério da Saúde divulgados no dia 25 de março, em Brasília, mostram redução de 3,54% nos casos da doença em todas as regiões do país. Segundo o ministério, foram, no ano passado, 69.245 casos de turberculose no Brasil, contra 71.790 no ano anterior - a primeira vez em que o país registra menos de 70 mil casos em um ano. Nos últimos 11 anos, diz a pasta, a taxa de incidência caiu 15,9%. Foram, em 2011, 36 casos da doença para cada 100 mil habitantes em todo o país. A região Norte registrou a maior proporção de casos: 45,2 para 100 mil habitantes. Sudeste, com a maior redução, saiu de 40,6 para 37,6. Nordeste (35,9), Sul (33) e Centro-Oeste (22) também registraram redução. A taxa de mortalidade, calculada com base em 2010, teve redução nacionalmente: foram 2,4 mortes para cada 100 mil habitantes naquele ano. Em uma década, representou redução, conforme o ministério, de 23,4%. Em 2001, eram 3,1 mortes para cada 100 mil habitantes. Em cerimônia no Ministério da Saúde, o ministro Alexandre Padilha afirmou que municípios que conseguirem reduzir a incidência de tuberculose e de mortes em decorrência da doença podem receber mais investimentos. Ressaltou que o acompanhamento e a taxa de cura da doença é componente de índices de avaliação dos serviços de saúde do governo e lembrou que bom desempenho nessas avaliações é decisivo para esses repasses. "Os indicadores de tuberculose eles entram em todas as políticas de avaliação que o Ministério da Saúde desenvolveu, sobretudo aquelas políticas que podem significar incentivos financeiros para estados e municípios, como o IDSUS [índice de avaliação do SUS, divulgado no início do mês]", disse Padilha. O Brasil, no entanto, ainda não alcançou o patamar recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de curar pelo menos 85% dos casos identificados. Em 2010, o índice de cura no país foi de 70,3%. Em 2009, 73,5%.
Prioridades: Os alvos prioritários do governo, segundo o ministério, são populações em situação de rua, carcerária, indígena e pessoas com HIV/Aids. Entre os casos notificados em 2010, 10% eram desse último grupo. O ministério recomenda realização de teste anti-HIV em todos os pacientes em que forem diagnosticados com tuberculose. Também em 2010, apenas 60,1% das pessoas que fizeram o teste para tuberculose realizaram, concomitantemente, teste para o vírus da Aids.
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.