quarta-feira, 9 de maio de 2012

Eletricidade em animais? Como é isso?

Muitas pessoas não sabem, mas todos os animais emitem cargas elétricas quando estão vivos. Quando se movimentam, a maioria deles emitem pequenas cargas. Alguns dos animais abaixo produzem um nível elevado de eletricidade e outros conseguem até detectar estas cargas elétricas e utilizá-las para seu benefício, principalmente na busca de alimentos. Tudo isto graças à eletrorrecepção, uma capacidade biológica de produção e sentido de captar os impulsos elétricos.


Ornitorrinco: Para caçar ele se guia pela eletricidade que suas presas emitem na água, pois seu bico tem receptores sensoriais que procuram a presa onde quer que ela esteja na água. Esses receptores estão presentes também nos tubarões. Ele usa seu bico para procurar moluscos, vermes, insetos aquáticos, crustáceos, girinos e peixes, que compõe seu cardápio.
Peixe Elefante ou Elephantnose: Estes peixes estão equipados com um órgão especial que produz eletricidade, localizado na cauda, que é composto de milhares de células multinucleadas chamadas de “eletroplaques”. Em estado de repouso, cada célula tem uma carga negativa no interior e uma carga positiva do lado de fora. Quando o órgão é estimulado através da contração muscular, os pólos são invertidos, criando uma corrente elétrica. Ao fazê-lo, o peixe é capaz de detectar níveis diferentes de distorção ao seu redor e pode distinguir os predadores das presas.
Enguia elétrica: A enguia-elétrica também conhecida como poraquê dispõe de potentes geradores e acumuladores de eletricidade. É desses órgãos que ele depende para matar ou atordoar suas presas, algumas de certo porte, pois há enguias que passam dos 2 metros. A descarga deste animal é mais potente que a da arraia-elétrica: chega a mediar entre 200 e 300 volts e pode matar até um jacaré de 1 metro de comprimento. O animal utiliza sua eletricidade com controle de intensidade.
Equidna: O sistema eletrorreceptivo da equidna é menos complexo do que a do ornitorrinco. Com apenas 2.000 electroplaques na parte maior do focinho e apenas 400 na parte menor do focinho. Sua eletrorrecepção é extremamente útil apesar deles serem animais terrestres. É muito mais fácil de conduzir a eletricidade na água do que na terra, razão pela qual a maioria dos animais com eletrorrecepção é principalmente aquática. Ainda assim, os cientistas acreditam que estes eletrorreceptores estão sendo "selecionados" porque os equidnas terrestre dependem muito menos da sua eletrorrecepção para encontrar o alimento do que outros animais aquáticos.
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.