sábado, 23 de junho de 2012

O peixe soltador-do-lodo é quase um elo perdido da evolução.

O saltador-do-lodo é um peixe com a estranha característica de ser anfíbio – ou seja, capaz de viver tanto na água quanto na terra. As suas nadadeiras sofreram uma adaptação que lhe permite andar. Assim como os peixes, respiram através das brânquias – as suas são capazes de armazenar água durante várias horas. Entretanto, assim como os anfíbios, também é capaz de realizar respiração cutânea (através da pele), através da mucosa oral ou faringe. Estes peixes são extremamente ativos fora da água, podendo mesmo saltar (daí seu nome), defender seu território e escalar troncos e raízes. Trata-se praticamente de um elo perdido, uma prova viva da teoria da evolução. São uma boa indicação de uma das etapas que nos levou para fora dos oceanos. Toda a vida se iniciou na água, e é possível que o primeiro ser vivo a se aventurar para fora dela com sucesso fosse bastante semelhante ao saltador-do-lodo. Este peixe vive no indo-pacífico, oeste da África, Filipinas, Austrália e ilhas da Polinésia, principalmente em manguezais e áreas de lama. Algumas espécies podem chegar a 25 centímetros e são completamente inofensivos a humanos. Uma curiosidade: estes animais cavam buracos na lama para colocar seus ovos, mantendo-os não na água, mas no ar – que é mais rico em oxigênio. No entanto, este oxigênio não ia durar, isolado pela água, e os ovos morreriam sufocados. Assim, o macho da espécie nada pelo túnel, inspira, volta ao fundo do túnel e solta o ar na câmara onde estão seus ovos. Faz isso centenas de vezes, até os ovos eclodirem.  
Fonte: Rede Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.