sexta-feira, 6 de julho de 2012

Centro da Antártica sofreria menos com temperatura maior

O impacto da elevação da temperatura global na Antártica poderá ser menor do que o previsto por cientistas, graças ao aumento de nevascas na região central do continente, afirma estudo divulgado pelo Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNRS), da França. De acordo com a investigação, uma parceria entre o laboratório de geofísica do meio ambiente de Grenoble com a Universidade de Laval, no Canadá, as previsões de aquecimento teriam que ser revisadas com "baixa de 0,5ºC para o centro do continente austral". O aumento da temperatura na Antártica implicaria em um maior número de precipitações e, portanto, uma neve mais "branca" que reduzirá o efeito da mudança climática no centro do continente. Se houver elevação da temperatura em 3ºC, as nevascas intensas aumentariam o albedo, radiação que reflete qualquer superfície. De acordo com os cientistas, um albedo alto esfriaria o planeta porque a luz ou radiação absorvida e aproveitada é mínima -- ainda segundo o estudo, o albedo mais elevado é o da neve recente. Os estudos, publicados na revista "Nature", permitem avaliar melhor o papel da neve nos modelos utilizados para prever a evolução do clima mundial, completa a nota do CNRS.


Foto 1: De acordo com estudo francês, temperaturas mais altas no centro da Antártica diminuiriam efeito da mudança climática no continente gelado. (Foto: Alister Doyle/Reuters)


Foto 2: As previsões de aquecimento teriam que ser revisadas com baixa de 0,5°C para o centro do continente austral/Getty Images  

Fontes: G1; Último Segundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.