sábado, 11 de agosto de 2012

Latas de Coca-Cola brasileira têm maior taxa de substância cancerígena

As latas da Coca-Cola vendidas no Brasil têm a maior concentração da substância cancerígena 4-metil imidazol (4-MI) entre todos os países que fabricam a bebida. As amostras do produto, que é utilizado na fabricação do corante caramelo, apresentaram 267 mcg (microgramas) do composto para cada 355 ml de refrigerante. O estudo responsável por essas análises, foi divulgado nos Estados Unidos pelo Centro de Ciência de Interesse Público (CSPI). Segundo as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso do 4-MI é permitido, desde que o teor não exceda 200 mg/kg. Apesar da quantidade encontrada nas latas brasileiras está abaixo do limite da Anvisa, é o mais alto dos países analisados:
1º Brasil - 267 mcg
2º Quênia - 177 mcg
3º Canadá - 160 mcg
4º Emirados Árabes Unidos - 155 mcg
 5º México - 147 mcg
6º Reino Unido - 145 mcg
7º Estados Unidos (Washington) - 144 mcg
8º Japão - 72 mcg
9º China - 56 mcg
A Coca-Cola afirmou que a quantidade utilizada nos produtos é altamente segura. "Os índices do ingrediente apontados em amostra brasileira de Coca-Cola pela recente pesquisa do CSPI estão dentro dos padrões aprovados pela Anvisa", confirmou via nota. A companhia também informou que não irá alterar a fórmula. A CSPI alertou que o consumo excessivo de bebidas açucaradas também aumenta o risco de ganho de peso, obesidade, diabetes, cáries dentárias, e outros problemas de saúde.  
Fonte: EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.