terça-feira, 4 de setembro de 2012

Clima pode reduzir tartarugas no Pacífico em 75% até 2100

Uma nova pesquisa sugere que as mudanças climáticas podem diminuir a população de tartarugas marinhas gigantes no leste do Oceano Pacífico em 75% até o ano de 2100. Os resultados do trabalho aparecem publicados na revista “Nature Climate Change”. Segundo o estudo, feito na Costa Rica pelas universidades americanas Princeton e Drexel e por institutos e agências governamentais dos EUA, os ovos e filhotes da espécie tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea) podem não sobreviver a esse aumento da temperatura. Além disso, a captura dos animais em operações de pesca é outra grande preocupação. A relação sexual desses répteis e o nascimento de filhotes variam de ano para ano, em resposta às variações climáticas, com menos machos entrando no Pacífico em períodos mais quentes e secos. E as projeções indicam que temporadas assim se tornarão cada vez mais frequentes na América Central ao longo deste século. As tartarugas fêmeas, que predominam na Costa Rica, ficam mais propensas a voltar às praias para desovar nos anos em ques encontram mais águas-vivas para comer. E esses celenterados são provavelmente mais abundantes no leste do Pacífico durante as estações mais frias. Por essa razão, os ovos e filhotes de tartarugas sobrevivem mais nas estações frias e chuvosas, que estão associadas ao fenômeno La Niña, que resfria as água do Pacífico. Segundo o professor James Spotila, de Drexel, em 1990 havia cerca de 1.500 tartarugas na Praia Grande da Costa Rica, contra 30 a 40 fêmeas atualmente. Spotila tem estudado o comportamento dos quelônios há 22 anos.


Foto 1: Tartaruga-de-couro é a maior espécie de tartaruga da natureza e está criticamente ameaçada pelo homem, o que pode piorar ainda mais com as mudanças climáticas no planeta (Foto: Jolene Bertoldi/ZA Photos)


Foto 2: População de tartarugas em praia da Costa Rica é predominantemente feminina, e os machos costumam se juntat a suas parceiras nas estações mais frias e chuvosas (Foto: US Fish and Wildlife Service Southeast)  

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.