domingo, 9 de setembro de 2012

Conheça as campeãs do 'mundo olímpico' das plantas

Se os Jogos Olímpicos celebram a superação dos limites físicos do homem, nada mais distante deste ambiente de alto rendimento do que enraizados vegetais, certo? Errado. É possível encontrar na flora indivíduos que, com um pouco de imaginação, fariam bonito em competições. São vegetais velocistas, maratonistas, arremessadores de peso, nadadores e até lutadores. Os nomes pelos quais alguns desses "atletas verdes" são conhecidos também merecem um parágrafo a parte. "Árvore em que os macacos não sobem", "planta rolante" e "figo estrangulador" são alguns exemplos.
Foto 1: Bunchberry dogwood - Uma das mais rápidas do mundo, esta árvore do Canadá faria inveja a Usain Bolt. Conhecida como "Bunchberry dogwood", suas flores se abrem em menos de 0,5 milissegundos. Cientistas estimam que somente na primeira metade deste brevíssimo período, os estames da flor são expostos a uma força 800 vezes maior do que a sentida pelos astronautas durante a decolagem de uma nave espacial. Acredita-se que o mecanismo permite que o pólen possa ser liberado para ser transportado pelo vento.

Foto 2: Árvore Dinamite - Ela também é conhecida como ‘árvore dinamite’ ou ‘árvore em que os macacos não sobem’ e poderia competir no lançamento de dardo. Ou melhor: arremesso de sementes. E o dinamite no apelido é por conta do ruído explosivo que faz quando as libera a longas distâncias.

Foto 3: Pando - Um dos mais famosos sistemas de raízes subterrâneas de choupo ou álamo é a chamada Pando (latim para ‘estender). Estima-se ela cubra cerca de 43 hectares, pese em torno de 6.600 toneladas e teria 80 mil anos de idade. Sendo provavelmente uma das raízes mais antigas e pesadas da Terra.



Foto 4: Sequoias - As sequoias, gigantes do mundo vegetal, possivelmente seriam imbatíveis em um jogo de basquete. Elas detêm o recorde de árvore mais alta do mundo. Há registro de uma sequoia de 115,6 metros de altura.

Foto 5: Figo Estrangulador - Um atleta de peso na categoria luta seria o ‘figo estrangulador’. A espécie tem uma estratégia agressiva e não mostra qualquer compaixão para com sua planta hospedeira. A combinação de estrangulamento e de ausência de luz solar torna improvável que a planta ganhe a batalha contra o figo estrangulador. Muitas vezes as plantas maduras se partem ao meio expondo seus centros vazios, mostrando onde houve uma vez uma planta hospedeira. A árvore se transformou em uma espécie de ''pedra angular'' da natureza, já que muitos animais nas florestas dependem de seu fruto, rico em energia, e disponível em diferentes épocas do ano.
Foto 6: 'Boscia ibitrunca' - O mergulho livre em profundidade não é um esporte olímpico, mas se fosse, a 'Boscia ibitrunca' poderia pleitear uma medalha. Mas o mergulho se daria debaixo da terra e não na água. As raízes da árvore podem se estender por até 68 metros debaixo da terra, como já se verificou com uma espécie encontrada no deserto do Kalahari. É possível produzir cerveja a partir de suas raízes e acredita-se que elas podem também ser úteis no tratamento de hemorroidas.
Foto 7: Planta Rolante - A chamada ‘planta rolante’ seria competidora de primeira linha na categoria maratona. São plantas que, quando amadurecem, se secam e se separam de suas raízes, o que permite que elas sejam carregadas pelo vento. Em seu trajeto, dispersam suas sementes. Esta forma de distribuição é muito eficaz. Estima-se que uma espécie de plantas rodadoras possa se multiplicar desde a parte central dos Estados Unidos até a costa Pacífica em apenas uma década.  
Fontes: Último Segundo; MSNVERDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.