terça-feira, 30 de outubro de 2012

Cachorro-vinagre é visto em Minas Gerais depois de 170 anos

Uma rara espécie encontrada em Minas Gerais somente em 1842, quando foi descrita pelo dinamarquês Peter Lund, “pai da paleontologia brasileira”, foi registrada recentemente no Parque Estadual Veredas do Peruaçu, no Cerrado mineiro. Segundo a WWF, os últimos relatos oficiais do animal eram de seus rastros e dois animais mortos. O comportamento arredio e ausência de informações sobre os seus hábitos deram ao cachorro-vinagre (Speothos venaticus) a fama de um fantasma. A filmagem do cachorro-vinagre ocorreu devido às “armadilhas fotográficas”, fruto da parceria entre o WWF-Brasil e o Instituto Biotrópicos. “Há sete anos tentávamos registrar a espécie na região. Nem acreditei quando vi a filmagem”, comemora o biólogo Guilherme Ferreira, do Biotrópicos. O cachorro-vinagre tem pelagem marrom escura, corpo alongado de até 70 cm, tem pernas e orelhas curtas e pesa cerca de 5 quilos. O nome tem duas origens possíveis: sua cor e sua urina, que possui um forte cheiro, similar ao vinagre. O animal pode ser encontrado no Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia e é um dos menores e mais sociais canídeos da América do Sul, uma vez que forma bandos permanentes com até dez companheiros.  
Conservação: A região que vive o bicho, também chamado de cachorro-do-mato-vinagre (Speothos venaticus), sofre com o acelerado desmatamento. E a parca informação sobre o comportamento da espécie dificulta a adoção de estratégias para sua preservação. Além do desmate, conflitos com populações, ataques e transmissão de doenças por animais de estimação são outros problemas enfrentadas por esses canídeos. A escassez da espécie fizeram especialistas do mundo inteiro tentarem reproduzi-lo em cativeiro, o que foi feito com sucesso na Alemanha. Do país vieram vários desses espécimes para zoológicos brasileiros, onde atualmente o cachorro-vinagre começa a se multiplicar.  
Foto: A dificuldade de encontrá-los na natureza faz cientistas reproduzi-los em cativeiros. Foto: Schinke Fonte: EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.