terça-feira, 2 de outubro de 2012

Equador: um arco-íris terrestre

Cerca de 10% das espécies de plantas do mundo se encontram em 0,17% da superfície do planeta; o espaço ocupado pelo Equador, onde a variedade de altitudes, correntes marítimas e microclimas cria as condições para uma explosão de cor. É estranho que o Equador supere a China, mas em relação a orquídeas raras é assim. No país andino, com 283 mil quilômetros quadrados, há 4,032 mil espécies, entre as quais 1,71 são endêmicas, segundo Juan del Hierro, criador da Fundação de Orquideologia e coordenador do Jardim Botânico de Quito. A área ocupada por Equador, Colômbia e Venezuela é a mais rica em biodiversidade da cordilheira andina. Além disso, Equador se beneficia pelo fato dos Andes se ramificarem em seu território dando lugar a vales, a confluência de correntes marítimas frias e quentes e ventos que chegam da Amazônia. O Equador produz 100 tipos de variedades de rosas que chegam a mais de 100 países e, inclusive, se tornaram um atrativo especial para paladares refinados em restaurantes da Espanha, Estados Unidos, Peru e Equador. A riqueza das flores não é só uma bênção para os insetos e pássaros como colibris, como também permite ao Equador exportar US$ 1 bilhão ao ano. O amor, no mundo, é declarado principalmente com rosas dos Andes. É estranho que a o Equador supere a China, mas em relação a orquídeas raras é assim. Com mais de 9,5 milhões de quilômetros quadrados, o gigante asiático tem 1,388 mil espécies destas flores belas, das quais 491 são endêmicas. Enquanto isso, no Equador, com pouco mais de 283 mil quilômetros quadrados, há 4,032 mil espécies, entre as quais 1,71 mil são endêmicas, segundo Juan del Hierro, criador da Fundação de Orquideologia e coordenador do Jardim Botânico de Quito. 'Nós não concebemos como temos um dos patrimônios mais ricos do mundo. Estamos buscando heróis em outras partes, mas o nosso herói é a natureza que temos que conservar', disse Hierro.
O DOM DA NATUREZA: A grande e irregular coluna vertebral andina que atravessa Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e parte da Venezuela, com alturas que alcançam 4 mil metros em média, lançou, junto com outros presentes da natureza, pinceladas de cor impregnadas em pétalas de flores. A partir dos três mil metros de altura há mais diversidade de plantas que nas zonas mais baixas do Equador, cuja capital, Quito, se situa a 2,8 mil metros do nível do mar. A área ocupada por Equador, Colômbia e Venezuela é a mais rica em biodiversidade da cordilheira andina. Além disso, o Equador se beneficia dos Andes ramificarem em seu território dando lugar a vales, a confluência de correntes marítimas frias e quentes e ventos que chegam da Amazônia, aspectos que tecem as condições propicias para espécies endêmicas de diferentes microclimas. Esse aspecto faz com que o Equador esteja entre os 17 países 'megadiversos', segundo uma classificação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.
MILHARES DE ESPÉCIES E MUITAS MAIS POR DESCOBRIR: Segundo Alexander Hirtz, presidente da Fundação Botânica, até o momento tem sido descritas 26 mil espécies de plantas no Equador, 10% das quais são samambaias e musgos. As outras são 'vasculares', ou seja, têm flores, e delas, cerca de 20% são orquídeas. Com esses números, o pequeno país andino fica na frente de outros países, inclusive o Brasil, que tem 2 mil tipos de orquídeas, segundo Hirtz, com 25 mil flores dessa família identificadas no mundo. 'Estão descritas mais orquídeas porque há mais estudiosos dessas espécies, mas as variedades em outras flores é imensa', disse Hirtz. A terra fértil equatoriana dá também: astromélias, cravos, gerânios, crisântemos, margaridas, Limonium, girassois, margaridas, antúrios e helicônias, 'assim como 40% das 2 mil classes de bromélias americanas catalogadas, cuja espécies comestível é o abacaxi', explicou o presidente. O Equador produz 100 tipos de variedades de rosas que chegam a mais de 100 países e, inclusive, se tornaram um atrativo especial para paladares refinados em restaurantes da Espanha, Estados Unidos, Peru e Equador Segundo Miguel Sansur, administrador do espólio da empresa Nevado, 'as rosas comestíveis produzidas são ricas em carboidratos e vitaminas B e C, e são 100% orgânicas. Na produção, não são usados pesticidas, fertilizantes nem produtos químicos'. Rosas à parte, a lista de flores no Equador continua e Hirtz, um dos descobridores de mais de mil espécies nos últimos 30 anos prefere resumir: 'há mais ou menos em todo mundo 250 mil espécies de plantas catalogadas, 10% está no Equador', onde no há neve no inverno e se reproduzem durante todo o ano. Hierro destaca que 'enquanto haja cientistas, sobretudo botânicos e taxonomistas no país, vamos descobrir mais'. Para ele, 'há um tesouro escondido' na natureza, mas o especialista teme pela ameaça de destruição das florestas virgens, entre outras razões, pelo desflorestamento e extensão da fronteira agrícola.
O PREÇO E O VALOR DAS FLORES CROMÁTICAS: O Equador alcançará quase US$ 1 bilhão em exportações de flores, um dos produtos mais importantes do país andino, onde a floricultura gera cerca de 50 mil postos diretos de trabalhos e outros indiretos. Os números são de Gino Descalzi, presidente da empresa Expoflores, que garante orgulhoso que o Equador vende basicamente rosas a 107 países. Compete com a Colômbia, que em sua opinião, privilegiou o volume sobre a qualidade. Só para o dia dos namorados, a Colômbia exportou 450 milhões de flores para todo o mundo, um número que supõe 15% das vendas anuais, segundo Augusto Solano, presidente da Asocolflores, uma organização comercial. Mas a concorrências também vem de outros lados: 'os países africanos caminharam muito rápido e o Quênia lidera a lista. Ele está é uma área geográfica interessantíssima com um produto muito mais barato, pois um trabalhador no Quênia ganha US$ 1 diário e está a uma menos distância da Europa', ressaltou Descalzi. 'A flor equatoriana é maravilhosa: a luminosidade faz com que as cores sejam muito mais intensas, a altura permite que os galhos sejam mais altos e a tecnologia utilizada permite que a vida no floreiro seja mais longa', disse o presidente da Expoflores. Os Estados Unidos são o principal destino para as flores equatorianas, liderada pela rosa, que tem 41% das exportações, seguindo da Rússia e outros países da antiga União Soviética, com 23%. A Europa tem 21% da produção de flores do Equador. Mas, o valor dessas flores vai além do monetário, pois levou o Equador a ser uma 'potência' da biodiversidade. 'Para a comunidade científica, Equador é o melhor laboratório que existe no mundo', disse Hierro. Grande parte das orquídeas vive em outras plantas, mas toma seus nutrientes como apoio. A maioria de seus agentes polinizadores são insetos, e esse vínculo do mundo vegetal com o animal é 'muito importante', pois dele depende a sobrevivência dos dois, explicou Hierro. Ligações similares com outros elementos do ecossistema fazem com que as orquídeas 'o termômetro da saúde da floresta primária' e não só uma delicada maneira de expressar sentimentos ou inspirar namorados, poetas e cantores.  
Fonte: MSNVERDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.