quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Nova técnica faz análise genética do feto apenas com o sangue da mãe

Cientistas norte-americanos desenvolveram um método capaz de obter a sequência do genoma de um bebê analisando apenas o sangue da mãe. O estudo das características genéticas do feto pode apontar a existência de doenças, o que possibilita o início do tratamento assim que a criança nascer. A análise de material genético em si não é uma novidade. Há décadas, uma técnica permite a coleta de células do feto por meio de uma agulha inserida no útero da mãe. No entanto, dependendo de onde essa agulha pegar, o bebê pode sofrer algum problema de desenvolvimento. Por isso, cientistas vinham tentando encontrar uma maneira de estudar o genoma dos bebês com uma técnica menos invasiva. No sangue das mulheres grávidas, circulam livremente algumas células do bebê. A quantidade de DNA fetal na corrente sanguínea da mãe aumenta ao longo da gestação, e chega a até 30% nos últimos três meses. Há cerca de um mês, especialistas da Universidade de Washington anunciaram o desenvolvimento de um método que fazia a leitura do genoma do bebê, que exigia amostras do sangue do pai e da mãe. O método descrito na edição desta semana da revista científica “Nature” já é uma evolução desta técnica. A equipe da Universidade de Stanford conseguiu fazer a mesma análise sem a necessidade do sangue do pai. A novidade é especialmente importante para mães que não tenham – ou não queiram ter – contato com o pai da criança, como em casos de inseminação artificial, por exemplo. Nos Estados Unidos, estima-se que 10% das mães se encaixem nesse quadro. Os métodos de estudo do material genético dos bebês ainda são caros, mas a tendência é de queda nos preços, o que torna essa tecnologia cada vez mais acessível. 
Foto: Teste genético durante a gravidez pode antecipar tratamento de doenças (Foto: Layla Lang)  
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Deixe sua crítica e sugestão para aperfeiçoarmos o blog. Abraços e Volte Sempre.